Make your own free website on Tripod.com

A EMBOSCADA

Por volta das 2h30 da madrugada o tenente Corran Horn, nativo de Corellia, teve um pressentimento estranho. Levantou-se da sua cama e percebeu que seu companheiro de quarto e vôo, Ooryl Qrygg, do planeta Gand, não estava lá. Meu pai, Hal Horn, sempre me dizia que devia seguir meus instintos . As artimanhas que aprendeu enquanto trabalhou como agente da inteligência do CorSec (Segurança do Centro Galáctico ou Galactic Core) são muito válidas nessas horas. Ele pegou a pistola que sempre carrega em segredo.

— Já que a segurança da base Hensara ficou com todas as armas quando chegamos é sempre bom ter uma sobressalente.

Corran vestiu seu traje de vôo e caminhou vagarosamente até a porta. Todo o cuidado é pouco se minha intuição estiver certa . Chegando ao corredor tudo permanecia num silêncio aterrador. A primeira precaução a tomar seria verificar os outros pilotos e depois as naves. Enquanto pensava no que fazer um vulto branco passou pela outra extremidade do corredor.

— Ops... não usamos uniformes brancos. Droga! Stormtroopers, sussurrou.

Sem notar sua presença, o soldado imperial veio em direção de Corran. O piloto rebelde encostou-se na parede e aguardou o momento exato. Quando o stormtrooper passou Corran disparou a queima roupa. Ouviu-se uma mistura dos sons do laser penetrando na parte traseira do capacete, em seguida, um gemido e, por fim, um estrondo quando a armadura caiu. Um a menos, mas faltam onze... Normalmente os grupos de assalto são compostos por 12 batedores . Essa era uma das vantagens de Corran: conhecer bem os procedimentos militares do Império.

*   Preciso de alguma proteção contra os outros e essa armadura será bem útil.

Então ele vestiu a armadura protetora e apanhou rifle laser do soldado morto. O cinto de suprimentos servirá perfeitamente caso tenha que fazer algo mais que dar alguns tiros . Carregado e protegido, o piloto seguiu em direção de seus camaradas. De súbito um grande braço verde envolveu o pescoço de Corran, porém antes que fosse estrangulado ele foi reconhecido e solto automaticamente.

*   Qrygg pede desculpas Tenente!, disse o gand, envergonhado.

*   Não...argh... tudo bem... se eu fosse um trooper você estaria certo.

*   Ooryl não avisou ninguém para evitar maiores problemas.

*   Acho que os problemas já são muito grandes, meu amigo, lamentou o corelliano

*   Ooryl eliminou um soldado e viu mais dois perto das nossas X-Wings.

*   Vamos ajudar os outros. Temos de ser rápidos e silenciosos se o alarme for disparado a coisa vai ficar feia por aqui..

A dupla seguiu para o quarto de Gavin Darklighter, sobrinho de Biggs Darklighter, de Tatooine e Riv Shiel, o shistavaniano de Uvenna III. Corran se encarregou de acordar Gavin. O jovem de 17 anos assustou-se quando Corran tapou sua boca e o segurou com força.

*   Calma garoto sou eu, Corran.

*   Você está louco. O que foi?, gritou

*   Psiu... há stormtroopers na base... temos de agir!

Do outro lado ele podia ver Qrygg conversando com Shiel. Como será que estão os outros, preciso avisar o comandante. Nessa hora a responsabilidade de Corran era imensa, pois além de ser o melhor piloto do esquadrão ele, aparentemente, era um dos poucos que sabia do perigo. Nunca sonhei em ser um herói, mas isso é questão de sobrevivência... Minha e da unidade, de meus amigos.... Olhando pela janela do quarto de Gavin ele avistou dois soldados colocando algo nos caças. Quando um dos troopers terminou Corran identificou uma pequena luz piscando no local onde o soldado mexera.

*   Droga! Detonadores térmicos... Qrygg, você e Shiel vão pelos flancos. A visão noturna de vocês será ótima agora. Quando estiverem bem perto ataquem! Eu e Gavin iremos pela frente.... Tomem cuidados senhores!

*   Vamos senhor Ooryl... eu fico com o da direita, sussurrou Shiel.

Corran ficou espiando e só pode ver dois vultos escuros flanqueando os soldados. Quando viu laseres verdes e vermelhos sendo disparados sinalizou para Gavin. Os dois avançaram e dispararam contra os imperiais. Corran atirou algumas vezes e escondeu-se atrás de uma pilha de caixas. O inexperiente Gavin continuou correndo e atirando. Corran gritou, mas o garoto não ouviu e continuou investindo contra os soldados. Segundos depois um dos soldados disparou contra Gavin. Dois tiros certeiros, um na perna e outro peito, porém antes de ser atingido o garoto acertou uma salva de laseres vermelhos contra a armadura, que não conseguiu absorver o impacto e foi despedaçada.

*   Nãooooo...., gritou Corran

*   Shiel me dê cobertura, vou ajudá-lo.

*   Deixe comigo, respondeu o lobisomem.

Alguns passos e um salto deixaram o tenente ao lado do jovem caído. Parecia milagre, mas o garoto ainda respirava e gemia de dor.

*   Precisamos levá-lo ao médico agora, avisou a seus colegas.

*   Aquele soldado não cede. Ele está bem protegido, precisamos derrubá-lo, advertiu Qrygg.

*   Cubram-me... Agora é comigo!

Seguindo a ordem de Corran, os dois alienígenas começaram a disparar insandecidamente contra o soldado. Corran segurou e apertou a medalha de seu pai, que ele sempre traz amarrada ao pulso . Preciso me concentrar, se errar será fatal . Depois de checar a carga do rifle, o piloto rolou pelo chão e disparou uma série de tiros contra o oponente. Nenhum foi certeiro. Enquanto se recompunha no chão o soldado avançava e atirava sem parar. Notando o perigo eminente Corran deu a última cartada. Mais um aperto na medalha e a investida final.

Ele deu a volta na pilha de caixas que o protegia e correu ao encontro do Stormtrooper. Assustado com a tática suicida do rebelde, o soldado imperial disparou a esmo e, por sorte, atingiu o abdome de Corran. Antes de cair o piloto acertou dois tiros no capacete do batedor, que caiu morto.

A armadura absorveu parte do impacto, mas o corpo de Corran ficou estirado no chão. Como isso dói, preferiria ter morrido. Sem perceber que outra figura branca se aproximava ele tentou levantar, mas quando o soldado iria disparar vários laseres vermelhos atingiram seu corpo. Alguns momentos de espera e um rebelde estica o braço para auxiliar Corran.

*   O senhor está bem Tenente Horn?, disse o homem

*   Senhor... Stormtroopers... com detonadores térmicos, resmungou o piloto ferido.

*   Eu sei, já dominamos os outros soldados e capturamos seu transporte. Estamos removendo os detonadores, avisou.

*   Gavin... está muito ferido!

*   O senhor também Tenente Horn... Bom trabalho.

Com a chegada da equipe médica o Comandante Wedge Antilles, líder do Rogue Squadron, assistiu à retirada de seus dois pilotos feridos e recebeu tristemente a notícia de que uma das pilotos do esquadrão, Lujayne Forge, fora assassinada enquanto dormia, além dos cinco guardas de segurança da base Hensara. Não sei como descobriram a localização da nossa base, mas os Rogues foram muito ameaçados dessa vez .

*   O que aconteceu Comandante Antilles ?, perguntou o Almirante Ackbar durante uma conversa pela Holonet.

*   Um platoon de Stormtroopers se infiltrou na base Hensara durante a noite e perdemos uma piloto e cinco guardas, senhor.

*   E quanto aos pilotos feridos?

*   Tenente Horn e Gavin Darklighter estão sendo tratados nos tanques de bacta. Ficaram bem em 3 dias. É realmente um milagre Gavin ter resistido a dois tiros sem armadura, mas ficará bem.

*   E quanto às naves Comandante?, retrucou o mon calamari.

*   Já desarmamos os detonadores e estamos abandonando a base.... Deixaremos algumas surpresinhas para os soldados, quando vierem checar o que aconteceu com seus camaradas.

*   Retorne imediatamente para o centro de comando, pois precisamos analisar um contra-ataque.

*   Afirmativo Almirante, Rogue Leader desliga.